Aquapolo

logo
close library
biblioteca

+recentes

Wastewater reuse applications and contaminants of emerging concern

In response to the escalating problem of water shortage all over the world, treated wastewater is nowadays widely reused and is generally considered as a reliable alternative water...

The Opportunities and Economics of Direct Potable Reuse

Water shortages, the limitations of current water supplies, the impacts of climate change, and new legal definitions of water and water rights are motivating water agencies to expa...

Reúso da água como ferramenta de revitalização de uma estação de tratamento de efluentes

O objetivo deste artigo foi avaliar o emprego do reúso de água como ferramenta de revitalização de uma estação de tratamento de efluentes (ETE). Para comprovação em um caso...

+lidos

Reúso da água como ferramenta de revitalização de uma estação de tratamento de efluentes

O objetivo deste artigo foi avaliar o emprego do reúso de água como ferramenta de revitalização de uma estação de tratamento de efluentes (ETE). Para comprovação em um caso...

The Opportunities and Economics of Direct Potable Reuse

Water shortages, the limitations of current water supplies, the impacts of climate change, and new legal definitions of water and water rights are motivating water agencies to expa...

Wastewater reuse applications and contaminants of emerging concern

In response to the escalating problem of water shortage all over the world, treated wastewater is nowadays widely reused and is generally considered as a reliable alternative water...

O Brasil detém cerca de 12% de toda a água doce do planeta*, porém sua distribuição é desigual, principalmente em relação à concentração populacional e urbana do país. 80% da água doce encontra-se na região norte, habitada por apenas 5 % da população. Os 20% de água doce restantes estão distribuídos pelas demais regiões, que abrigam 95% da população.**

A distribuição irregular, aliada às mudanças climáticas e à falta de educação ambiental, sempre se apresentou como um desafio de grande importância ao desenvolvimento do país, produzindo áreas de grande estresse hídrico em algumas regiões e cidades brasileiras.

A Região Metropolitana de São Paulo é uma dessas regiões. Localizada na Bacia do Alto Tietê, com 39 municípios e uma população de quase 20 milhões de pessoas, tem sete vezes menos água por habitante do que a ONU considera como o mínimo aceitável.

*Fonte: http://www.brasil.gov.br/

**Fonte: http://www2.ana.gov.br/

O Aquapolo é o maior empreendimento para a produção de água de reúso industrial na América do Sul, e quinto maior do planeta. Resultado de parceria entre a BRK Ambiental e a SABESP (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo), fornece por contrato 650 litros/segundo de água de reúso para o Polo Petroquímico da Região do ABC Paulista. Isso equivale ao abastecimento de uma cidade de 500 mil habitantes, como Santos, por exemplo.

Projeto moderno e sustentável, o Aquapolo está apto a produzir 1.000 litros/segundo de água de reúso, utilizando os mais avançados e complexos processos tecnológicos existentes. A cada litro de água produzida em suas instalações, outro litro de água potável é economizado.

Altamente mecanizado, o trabalho desenvolvido pelo Aquapolo começa ainda nas Estações Elevatórias da Sabesp que bombeiam o esgoto até a ETE do ABC. Nestes locais, foram inseridos sensores que determinam o nível de toxidade da carga que chegará à ETE no curto prazo. Após o processo de tratamento, a vazão que seria destinada ao Córrego dos Meninos (curso d’água para onde é enviada a água após o tratamento na ETE) seria de 2.000 litros/Segundo. O Aquapolo, no entanto, desvia 650 litros/segundo para a sua operação.

Os parâmetros e qualidade da água que devem ser alcançados ao final de todo o processo foram determinadas pelo próprio Polo Petroquímico, que a utiliza para limpar torres de resfriamento e caldeiras, principalmente.Para condução e distribuição da água produzida, foi construída uma adutora de 17km, que sai de São Paulo e passa pelos municípios de São Caetano do Sul e Santo André, até chegar a uma torre de distribuição em Capuava, Mauá, onde está o Polo. A partir dela, uma rede de distribuição de 3,6 km entrega a água para cada um dos clientes. A adutora foi projetada para permitir derivações, viabilizando o atendimento de possíveis clientes presentes ao longo de seu percurso.

Números

adutora: 17 km de extensão

área construída: 15 mil m²

capacidade de armazenamento de água - Tanque de Reservação: 70 mil litros

capacidade de produção: 1.000 litros de água de reúso por segundo

economia de água potável: 2,58 bilhões de litros por mês

rede de distribuição: 3,6 km

tempo de contrato: 41 anos (iniciando em 2012)

Conheça o processo