Aquapolo

logo
close library
biblioteca

+recentes

Wastewater reuse applications and contaminants of emerging concern

In response to the escalating problem of water shortage all over the world, treated wastewater is nowadays widely reused and is generally considered as a reliable alternative water...

The Opportunities and Economics of Direct Potable Reuse

Water shortages, the limitations of current water supplies, the impacts of climate change, and new legal definitions of water and water rights are motivating water agencies to expa...

Reúso da água como ferramenta de revitalização de uma estação de tratamento de efluentes

O objetivo deste artigo foi avaliar o emprego do reúso de água como ferramenta de revitalização de uma estação de tratamento de efluentes (ETE). Para comprovação em um caso...

+lidos

Reúso da água como ferramenta de revitalização de uma estação de tratamento de efluentes

O objetivo deste artigo foi avaliar o emprego do reúso de água como ferramenta de revitalização de uma estação de tratamento de efluentes (ETE). Para comprovação em um caso...

The Opportunities and Economics of Direct Potable Reuse

Water shortages, the limitations of current water supplies, the impacts of climate change, and new legal definitions of water and water rights are motivating water agencies to expa...

Wastewater reuse applications and contaminants of emerging concern

In response to the escalating problem of water shortage all over the world, treated wastewater is nowadays widely reused and is generally considered as a reliable alternative water...

Odebrecht S.A anuncia acordo para vender a Odebrecht Ambiental para a Brookfield

Publicado em 28/10/2016

A Odebrecht S.A. assinou ontem (27/10/2016) o contrato de alienação da totalidade de suas ações, equivalente a 70% do capital da Odebrecht Ambiental, para a Brookfield Brazil Capital Partners LLC e o Fundo de Investimentos BR Ambiental, ambos administrados pela Brookfield Asset Management. O fundo de investimento FI-FGTS, sócio da Odebrecht Ambiental desde 2009, deverá manter sua participação de 30% no capital da empresa.

O preço da venda foi de US$ 878 milhões (aproximadamente R$ 2,8 bilhões) e é composto por um pagamento antecipado de US$ 768 milhões e um adicional de US$ 110 milhões, ao longo dos próximos 3 anos, condicionado ao crescimento continuado da empresa. O fechamento definitivo da transação, previsto para o primeiro trimestre de 2017, está sujeito a uma série de condições que são habituais em transações envolvendo empresas prestadoras de serviço público, como a obtenção de anuências do poder público, dos financiadores e aprovações regulatórias.

Fundada em 2008, Odebrecht Ambiental é hoje a maior empresa privada de saneamento do Brasil. Atende atualmente a mais de 17 milhões de pessoas em 12 estados no Brasil por meio de concessões e de parcerias público-privadas. A operação inclui também parte dos serviços de tratamento de resíduos e de água industrial.

Toda a estrutura técnica da Odebrecht Ambiental é parte da transação e permanece inalterada, assim como o seu quadro de funcionários, garantindo sua capacidade técnica-operacional e a manutenção dos compromissos com todos os municípios onde ela atua.

A Brookfield é um dos maiores grupos de investimento do mundo, atuando nas áreas imobiliária, de infraestrutura, energia renovável, construção, agropecuária e florestal. Presente em 30 países com mais de US$ 250 bilhões em ativos sob gestão e emprega hoje 55 mil pessoas. A companhia investe no Brasil há mais de cem anos, administrando US$ 12 bilhões em ativos, em 15 estados brasileiros. 

Aquapolo

A Odebrecht Ambiental possui uma sociedade com a Sabesp que formou o Aquapolo. Inaugurado em 2012, o Aquapolo é o maior projeto de água de reúso para fins industriais do hemisfério sul. A planta abastece o Polo Petroquímico de Capuava, em Mauá (ABC), além de três grandes empresas da região.  No total, Aquapolo pode fornecer 650 litros de água de reúso, volume que é equivalente ao consumo de água potável de 300 mil moradores – uma cidade do porte de Guarujá.

A água de reúso industrial é produzida a partir do esgoto tratado. Esse efluente, que seria devolvido à natureza dentro das condições exigidas pela legislação, passa por um novo tratamento, complementar, com tecnologia de ponta, que inclui membranas de ultrafiltração e osmose reversa. A iniciativa possibilita que a Sabesp aumente a oferta de água potável para a Região Metropolitana de São Paulo, já que o volume usado pelo Polo Petroquímico será substituído pela água de reúso para fins industriais. Deixam de ser usados mensalmente 900 milhões de litros de água tratada.